por Irmão Ryba, o desigrejado graças a Deus, amém!

Revelação na madrugadas por volta das 05:00 hs do dia 20 de outubro de 2014. (revista & atualizada) parodiando o Ferreira de Almeida…)

Estava eu deitado na minha rede fustão, quando sonhei que andava numa estrada de chão empoeirado, a qual se estendia sobre um vale imenso e muito imenso a perder de vista, Ali era o local de passagem quase obrigatório para todos os viajantes daquela região por ser uma rota mais curta,  para se chegar em vários destinos dos povos que habitavam do outro lado posterior de uma cadeia de grandes montanhas que o circundava.

Esse vale era muito aprazível, bem como era muito produtivo, bem como possuía animais de várias espécies. Dentre estes animais eu pude observar um casal de leões criados desde pequeninos por um dos ricos proprietários daquela região. Estes animais eram dóceis capazes de deixar as crianças rolarem sobre si, os quais reagiam ao carinho como dois gatinhos de estimação com qualquer pessoa, inclusive, até mesmo com as centenas de milhares de forasteiros  estranhos que passava no local, os animais eram uma espécie de  atração do vale.

Num belo dia naquela movimentada estrada de chão do vale de delícias, o qual era rodeado de montanhas eternas, eu me pus à acompanhar uma das caravanas que atravessava por ali. Distante podíamos perceber uma cena incrível e cruel (…) aquele casal de leões outrora tão dóceis, estavam furiosos atacando as pessoas que por ali passavam. Ficamos chocados quando avistamos as feras estraçalhando a carne das pessoas. Misteriosamente, já não havia apenas os dois animais ferozes, mais sim,  centenas de milhares de feras famintas e violentas  deixava a todos desesperados e em pânico.

De longe avistávamos aquela carnificina humana semelhante como acontecera no coliseu romano. Com os cristãos Então eu e os nossos companheiros de caravana , voltamos aflitos procurando abrigos em algum lugar daquela região desértica acima do vale. Num dado momento olhamos para trás e havia várias pessoas sendo perseguidas por aquele casal de leões, os quais vinham furiosos em seus encalços rugindo ferozmente “pega aqui, pega acolá”. Eles estavam ofegante, porém cheios de uma confiança anormal. 

Dois homens estranhos aparecem em cena e nos acolheram dizendo, –  venham conosco amigos, sabemos onde existe um abrigo (…) naquele momento avistamos logo a nossa frente um pequeno bosque que dava em um desfiladeiro sem fim, em sua encosta havia uma cabana cercada de madeira esparsas, entrementes, não nos parecia muito confiável. Porém, não tínhamos outra escolha, era ficar ali ao relento, e/ou  morrer devorados pelas feras ou confiar nos forasteiros…era uma situação tipo: “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”…Com Jesus somos é homens, assim resistíamos ao medo, aleluias!!!

Em seguida adentramos ao pequeno local para nos proteger…Pasmem! naquele ínterim de desespero, um dos últimos caravaneiros ao atravessar em disparada a pequena cancela, deixou a mesma apenas encostada. O casal de leões ficou de tocaia na entrada da cancela do outro lado da estrada, Ali em frente. podíamos avistar o casal de leões nos vigiando como se soubesse que não havíamos como escapar de seus dentes afiados. Para o nosso desespero dentro daquela cabana que ao nossos olhos cedo ou mais tarde seria invadida por aqueles animais ferozes, os quais nos fulminavam com olhares penetrantes…

De repente, a fêmea começou a rodear o cercado da casa, em seguida o macho se juntou a ela e ao roçar sua longa cabeça no cercado encontrou a cancela entreaberta…meu Deus! , quem fez isso…bufei de medo.  Ali, naquele momento nos faltou o fôlego  –  os dois animais rugiam ao redor da cabana que o chão chegava a estremecer, Todavia dois de nossos companheiros continuavam nos dando força, calma amigos, diziam,  vai dar tudo certo, bastaria que tivéssemos fé que as feras se afastariam dali…Imagina irmãos naquela altura!…não  tínhamos escolha?  era orar e/ou rezar para São Jorge guerreiro! (protetor dos animais) valia tudo!

Misteriosamente enquanto confabulávamos em nossa agonia mortal, o casal de animais se afastaram de nós, e voltarão a ficar em frente da cabana a espreita e vigilantes em frente da cancela…como se dissessem – uma hora vocês irão sair daí cristãos bobões…(parecia que as feras sabiam o que estavam fazendo, nos deixando encurralados e com as calças todas molhadas e borradas. Ops!. Porém, aquela cabana tão  frágil nos salvaria milagrosamente da morte certa. Naquele ínterim, um dos homens que nos convidou a entrar na cabana nos disse – será preciso chamar um outro domador de leões, pois o primeiro as feras já havia os devorado bem gostoso! (misericórdia – eu exclamava baixinho irmãos!)…meu coração batia tão acelerado…Jesus!, salva o teu servo!. Contudo, ninguém se atrevia a enfrentar os animais descontrolados, nós não éramos bestas queridos!.

Em nossa agonia mortal, um dos homens percebeu o nosso MEDO e nos disse – existe um pastor de ovelhas que pode pacificar as feras bravias que lhes ameaça de morte…Retrucamo-los,  como assim amigos…como pode um pastor de ovelhas domar leões ferozes, nos poupe tá?…Eles insistem e responderam uníssonos (…) esse pastor é especialista e domador de feras bravias é aquele que foi rejeitado pelos os homens, o messias Yeshua (Jesus), 

Se creres de todo coração o filho do homem pode estar aqui pessoalmente convosco, e  a nossa presença em suas aflições  é para relembrar-lhes,  que todo aquele que determinar que o medo se afaste de coração, assim será feito, Por conseguinte, até  mesmo estas feras ferozes que estão diante de si serão subjugadas pela sua palavra. Basta tão somente crer e determinar que assim será feito conforme a fé de cada um no grande Elohim Yah/YHWH (Deus ).

Aqueles homens que nos mostraram aquele abrigo providencial na cabana, pronunciaram estas palavras em nome Dele, o Cristo. Yeshua/Jesus, o Messias Depois disso eles sumiram de cena, em seguida  olhamos para o céu e ouvimos uma voz vinda do alto nos encorajando a não temer as adversidades temporais que o mais ele faria para aquele que acreditar em sua palavra.

Ao ouvirmos aquelas palavras confortantes nos encorajamos, e ao olharmos para as feras que nos espreitavam furiosamente, as mesmas já haviam desaparecidos misteriosamente ali diante de nós.  Posteriormente mais relaxados e cheios de fé  podíamos sair de dentro daquela cabana vitoriosos e agradecendo a Deus por aquele grande livramento.

INTERPRETAI E ORAI, DESCONFIO PORTANTO QUE ESSE SONHO SE REFERE A PERSEGUIÇÃO A IGREJA…

Vídeo dos cristãos no Coliseu romano para mera ilustração de como será os últimos dias desse povo na terra, desta vez devorados por leões humanos ferozes MATRIX ( a Besta do Apocalipse)

Posts recentes

Categorias


A minha alma está entre leões, e eu estou entre aqueles que estão abrasados, filhos dos homens, cujos dentes são lanças e flechas, e a sua língua espada afiada.
Salmos 57:4